Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Ministério Público debate prevenção da violência nas escolas de Porto Alegre

Evento promovido em parceria com a Educação do Estado e do município reuniu 250 representantes das instituições de ensino

Publicação:

Encontro contou com a presença de representantes de escolas estaduais, municipais e particulares
Encontro contou com a presença de representantes de escolas estaduais, municipais e particulares - Foto: Diego da Costa
Por Diego da Costa

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, por meio da Promotoria Regional de Educação, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e a Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre (Smed), promoveram na tarde desta terça-feira (28), no Auditório Mondercil Paulo de Moraes, o encontro com o tema “A violência invade a escola: caminhos possíveis”. O evento que contou com a presença de 250 representantes de escolas estaduais, municipais e particulares de abrangência da 1° Coordenadoria Regional de Educação (CRE), teve o intuito de debater a formulação e a aplicação de políticas públicas de combate e prevenção da violência nas instituições de ensino.

De acordo com a promotora regional de Educação de Porto Alegre, Danielle Bolzan, o debate da questão escolar precisa ser ampliado não só como um tema de educação e segurança, mas também de saúde pública. “É possível perceber que as dificuldades socioeconômicas e ambientais vivenciadas por crianças e jovens por situação de abandono é um fator de risco para o desenvolvimento da violência dentro da sala de aula, por isso as políticas públicas de saúde mental também são essenciais neste processo”, explica.

Segundo Sônia Rosa, diretora do Departamento Pedagógico da Seduc, é necessário que se busque a formação de uma educação de qualidade, dentro de uma lógica de valorização da dignidade humana. “Para atingir o nosso objetivo e promover as melhorias necessárias é preciso trabalhar as políticas públicas de Estado de forma integrada”, destaca.

A coordenadora Estadual das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar (Cipave), Luciane Manfro, enfatizou a importância das escolas da 1° CRE fazerem parte do Programa para o auxílio na prevenção da violência e a gestão de conflito. “Queremos que esta grande rede apoio com as forças de segurança se estenda ainda mais e beneficie as instituições de ensino de Porto Alegre, onde ainda existem poucas adesões”, afirma.

Conforme a diretora pedagógica da Smed, Maria Cláudia Bombassarro, existe a necessidade de a educação repensar seu verdadeiro papel em relação ao aluno. “O estudante que passa por uma situação de violência precisa ser priorizado e encaminhado para um atendimento adequado e não desprezado. Quando ele passa por uma agressão e repete aquele ato em sala de aula, ele está apenas reproduzindo a situação vivida. Precisamos estar preparados para lidar com estas situações”, conclui.

Ainda estiveram presentes no evento os médicos psiquiatras Fábio Montano e Alice Becker; a diretora do Departamento da Criança e do Adolescente (DECA), Adriana Regina da Costa; a delegada de Polícia do DECA, Sônia Maria Dall’Igna e o major da Brigada Militar, Rodrigo Schoenfeldt.

Encontro teve o intuito de debater a formulação e a aplicação de políticas públicas nas escolas de Porto Alegre
Encontro teve o intuito de debater a formulação e a aplicação de políticas públicas nas escolas de Porto Alegre - Foto: Diego da Costa
CIPAVE